<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d17438737\x26blogName\x3dPensar+de+Alto\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://pensardealto.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://pensardealto.blogspot.com/\x26vt\x3d3723253789723581049', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script><!-- --><div id="flagi" style="visibility:hidden; position:absolute;" onmouseover="showDrop()" onmouseout="hideDrop()"><div id="flagtop"></div><div id="top-filler"></div><div id="flagi-body">Notify Blogger about objectionable content.<br /><a href="http://help.blogger.com/bin/answer.py?answer=1200"> What does this mean? </a> </div></div><div id="b-navbar"><a href="http://www.blogger.com/" id="b-logo" title="Go to Blogger.com"><img src="http://www.blogger.com/img/navbar/3/logobar.gif" alt="Blogger" width="80" height="24" /></a><form id="b-search" name="b-search" action="http://search.blogger.com/"><div id="b-more"><a href="http://www.blogger.com/" id="b-getorpost"><img src="http://www.blogger.com/img/navbar/3/btn_getblog.gif" alt="Get your own blog" width="112" height="15" /></a><a id="flagButton" style="display:none;" href="javascript:toggleFlag();" onmouseover="showDrop()" onmouseout="hideDrop()"><img src="http://www.blogger.com/img/navbar/3/flag.gif" name="flag" alt="Flag Blog" width="55" height="15" /></a><a href="http://www.blogger.com/redirect/next_blog.pyra?navBar=true" id="b-next"><img src="http://www.blogger.com/img/navbar/3/btn_nextblog.gif" alt="Next blog" width="72" height="15" /></a></div><div id="b-this"><input type="text" id="b-query" name="as_q" /><input type="hidden" name="ie" value="UTF-8" /><input type="hidden" name="ui" value="blg" /><input type="hidden" name="bl_url" value="gatas-qb.blogspot.com" /><input type="image" src="http://www.blogger.com/img/navbar/3/btn_search_this.gif" alt="Search This Blog" id="b-searchbtn" title="Search this blog with Google Blog Search" onclick="document.forms['b-search'].bl_url.value='gatas-qb.blogspot.com'" /><input type="image" src="http://www.blogger.com/img/navbar/3/btn_search_all.gif" alt="Search All Blogs" value="Search" id="b-searchallbtn" title="Search all blogs with Google Blog Search" onclick="document.forms['b-search'].bl_url.value=''" /><a href="javascript:BlogThis();" id="b-blogthis">BlogThis!</a></div></form></div><script type="text/javascript"><!-- var ID = 6860457;var HATE_INTERSTITIAL_COOKIE_NAME = 'dismissedInterstitial';var FLAG_COOKIE_NAME = 'flaggedBlog';var FLAG_BLOG_URL = 'http://www.blogger.com/flag-blog.g?nav=3&toFlag=' + ID;var UNFLAG_BLOG_URL = 'http://www.blogger.com/unflag-blog.g?nav=3&toFlag=' + ID;var FLAG_IMAGE_URL = 'http://www.blogger.com/img/navbar/3/flag.gif';var UNFLAG_IMAGE_URL = 'http://www.blogger.com/img/navbar/3/unflag.gif';var ncHasFlagged = false;var servletTarget = new Image(); function BlogThis() {Q='';x=document;y=window;if(x.selection) {Q=x.selection.createRange().text;} else if (y.getSelection) { Q=y.getSelection();} else if (x.getSelection) { Q=x.getSelection();}popw = y.open('http://www.blogger.com/blog_this.pyra?t=' + escape(Q) + '&u=' + escape(location.href) + '&n=' + escape(document.title),'bloggerForm','scrollbars=no,width=475,height=300,top=175,left=75,status=yes,resizable=yes');void(0);} function blogspotInit() {initFlag();} function hasFlagged() {return getCookie(FLAG_COOKIE_NAME) || ncHasFlagged;} function toggleFlag() {var date = new Date();var id = 6860457;if (hasFlagged()) {removeCookie(FLAG_COOKIE_NAME);servletTarget.src = UNFLAG_BLOG_URL + '&d=' + date.getTime();document.images['flag'].src = FLAG_IMAGE_URL;ncHasFlagged = false;} else { setBlogspotCookie(FLAG_COOKIE_NAME, 'true');servletTarget.src = FLAG_BLOG_URL + '&d=' + date.getTime();document.images['flag'].src = UNFLAG_IMAGE_URL;ncHasFlagged = true;}} function initFlag() {document.getElementById('flagButton').style.display = 'inline';if (hasFlagged()) {document.images['flag'].src = UNFLAG_IMAGE_URL;} else {document.images['flag'].src = FLAG_IMAGE_URL;}} function showDrop() {if (!hasFlagged()) {document.getElementById('flagi').style.visibility = 'visible';}} function hideDrop() {document.getElementById('flagi').style.visibility = 'hidden';} function setBlogspotCookie(name, val) {var expire = new Date((new Date()).getTime() + 5 * 24 * 60 * 60 * 1000);var path = '/';setCookie(name, val, null, expire, path, null);} function removeCookie(name){var expire = new Date((new Date()).getTime() - 1000); setCookie(name,'',null,expire,'/',null);} --></script><script type="text/javascript"> blogspotInit();</script><div id="space-for-ie"></div>

sábado, novembro 26, 2005

Complicar é Vocação

Tenho como bom para mim que o ser humano tem como principal vocação complicar.
Não há nada que diga, pense ou faça, onde a complicação não apareça.
Parece que tem um complicómetro ligado e que o faz para ganhar uma viagem às Caraíbas logo que atinja o número necessário de complicações.
E esta mania de complicar já não é de agora, pois já vem dos tempos de Adão e Eva.Esses, que tão bem que estavam no Paraíso, segundo dizem, tinham logo que complicar e ir comer o fruto proibido...
Dizem, embora eu tenha muitas dúvidas quanto à história que contam.Para mim, não foi a Eva a causa de tantos males que advieram para a Humanidade por causa de uma maçã.Não, certamente que não foi ela e a história está mal contada.Sei de fonte segura que foi bem diferente o sucedido.Adão, homem de autoridade, garboso da sua masculinidade,à falta de outra mulher encantou-se por uma serpente e mandou a mulher à fruta.Eva, mulher discreta e submissa, delicada na postura, fez-se desentendida e de costas voltadas, pôs-se a comer uma maçã. Ora, Adão, logo que se apercebeu das consequências do seu acto, apressou-se a colocar as culpas todas em Eva.Esta, de costas voltadas, que até nem eram largas, arcou com as culpas todas, crente que a justiça um dia lhe daria razão.
Enganou-se,coitada, porque todos acreditaram que o mal era da maçã.
E desde então que, por mais fácil que as coisas sejam, o ser humano tende a complicar.Das coisas simples faz difíceis e as menos fáceis torna insolúveis.
O espantoso é que até se esforça por complicar, apelando a insondáveis capacidades imaginativas para o linear tornar tortuoso.
Confesso que cheguei a admitir que isso acontecia porque o masoquismo estava na essência do ser humano e, por isso mesmo, entendia que precisava de sofrer antes de alcançar o prazer.
Hoje já não penso assim. É que na maioria dos casos nunca alcançam o prazer, ficando-se pela dor de, por tanta complicarem, se ficarem pela frustração.
E este esforço inglório acontece em tudo, verificando-se tanto na utilização de um simples ferro de engomar como ao nível das relações humanas.
O primeiro, mesmo que traga instruções claras e concisas, é um verdadeiro quebra-cabeças para que comece a funcionar.Para tanto, bastaria que antes se lessem as instruções, o que tornaria simples a utilização do dito.Ora, simples é que não pode ser, pelo que não lendo as instruções o caso se complica.E se o ferro for a vapor, muito provável se torna que se tenha de comprar outro por avaria do primeiro antes de iniciar funções.
Se assim é, quando existem instruções, imagine-se o que será quando essas não acompanham o produto.Como nas relações humanas, por exemplo.Aí, à falta delas, o ser humano dá mostras de invulgar brio e trata logo de as criar. As tais, as que não usaria se estivessem à disposição.Só que desta vez até cria regras para de algum modo punir quem não as cumpre.
E cria com profusão.Ele são regras sociais, normas legais, ditames culturais e, não se dando por satisfeito, cria condutas morais.
O resultado é óbvio.
De tanto que tem para ler, de tanto que tem para cumprir, num simples encantamento nunca se alcança o prazer com tanta complicação.
11 Comments:
Anonymous Manefta said...

ehehehehhe é tão verdade. Criam-se regras e mais regras para limitar o prazer dos outros, principalmente quando quem as cria de feliz não tem nada. O Homem é um bichinho, que necessita que lhe digam como fazer as coisas, criam-se leis, religiões, tudo para ajudar o Homem a viver.
Tb não é menos verdade que estamos inseridos num contexto. Numa sociedade tb ela repleta de regras, irritantes pois claro. Mas certas e muitas decisões, quando tomadas em consciencia, acarretam consequencias, para as quais devemos estar preparados e sentir que a decisão sustenta bem a consequencia, mesmo que essa consequencia seja a nossa propria consciencia. E sendo assim, a primeira das liberdades sociais é agir pela nossa consciencia. Independentemente se concordamos ou não com este mundo chauvinista e ridiculo, em toda a sua parolice.
E ainda que há coisas que não tem preço, uma das fases da maturidade é aceitar certos pormenores. Ok não tem mto sentido, mas existem. Ignora-los como se não fosse nada connosco não é proprio de alguém conscencioso, pk a violencia fisica não é a unica forma de se tratar mal as pessoas, devemos ser atentos as nossas atitudes, e não agir ao bom sabor dos teen. E como tudo é um processo mental...só é possivel quando assim acontece. Antes seria igual, mas diferente.
Pk primeiro muda-se o pensar e depois muda-se o sentir. O que interessa é caminhar sempre na evolução...lá chegaremos.

11/26/2005 5:33 da tarde  
Blogger {-Sutra-} said...

Carlos...
Não compliques...(lol)

Agora, a falar a sério. Nós somos mesmo complicados! Complicamos as relações - pois se desejamos alguém, nem sempre temos a coragem de o dizer, sem antes nos equacionarmos com todos os «ses»; complicamos o tempo, porque não paramos de nele pensar e acabamos por o deixar fugir, não o empregando nas melhores coisas da vida; no fundo, complicamos a vida porque nos preocupamos demasiado em «descomplicar» quando não é ela que é complicada. Somos nós.

Mas... eu logo vi que tu tinhas de ficar do lado da Eva! (lol)
Se ela cá estivesse... era mais uma das tuas fãs ;-)

Beijo doce

11/26/2005 5:35 da tarde  
Blogger AnAni said...

Nós complicamos porque, como seres humanos que somos, temos que dar uso à nossa racionalidade, à nossa lógica, ao raciocínio, à argumentação e à desconstrução. E temos de criar regras porque, senão, aí é que ninguém se entendia...
Concordo que, de vez em quando, devemos deixar a complicação de lado. E, habituado que já estás aos bitates que vou mandando aqui na blogos, digo que a porta do quarto é um dos lugares onde as complicações devem ficar estacionadas.
Beijos e parabéns

11/26/2005 7:43 da tarde  
Anonymous Miss Lust said...

Bem já valeu a viagem até aqui heheheh, sempre aprendi algo que não sabia sobre Eva e... heheh
Quanto ao complicar, concordo plenamente contigo, embora não seja seguramente o meu caso, confesso que ás vezes sou irritante e deixo muita gente de cabelo em pé...eles a tentar complicar e eu a descomplicar hehehe é a pura verdade, ainda no outro dia numa "discussão" alguém me dizia " FOGO!!! parece que estás sempre a gozar" de facto não estou, mas porque complicar o que pode ser tão simples!! acho que parte um pouco da falta de respeito que se tem pela opinião dos outros, pelo facto de se querer impor as nossas opiniões! etc etc... bom texto. Beijoca grande

11/26/2005 10:16 da tarde  
Blogger silencio said...

E a vida é tão fácil de ser vivida, não achas?
Ela é simples, apenas com o seu princípio, meio e fim.
E nós transformamos esse princípio numa ânsia desguerrada de agarrar com tanta pressa o meio, que chegamos rapidamente ao fim, sem termos aprendido que a simplicidade da vida era apenas saborear lentamente o princípio, para que segundo a segundo fossemos alcançando o meio, encontrando o fim com um sorriso de quem quase tudo teria vivido.

*Beso

11/26/2005 10:36 da tarde  
Anonymous Breal said...

Como sempre um texto interessante e muito bem comentado.

11/27/2005 1:00 da manhã  
Blogger Mr. Teaser said...

Parece-me a mim, que o complicar acaba também por ser falta de experiência do complicador em qualquer que seja o tema a... complicar.

No caso do ferro de engomar a complicação nasce a partir do momento em que os complicados inventam um objecto de tamanha complicação que tem de ser dotado de um livro de instruções, para que outros complicados o complicarem ainda mais, não sabendo (mesmo depois de lerem) como funciona.... por isso eu não sei (nem quero saber) como passar a ferro...

As relações humanas acabam por ser um tema mais complicado de descomplicar... é impossível direi... eu sei que é pessimismo mas todos temos tendencia para o fazer... seja pq razão for, vamos sempre buscar mais algo para complicar, ver mais além do que devemos mesmo sabendo que poderemos encontrar alguma complicação que vai complicar as nossas mentes... uma relação descomplicada não existe, pois é uma relação vazia de sentimento, de mistério, ou de procura... de complicações.

Um abraço
Mr. Teaser

PS - E assim consigo comentar um blog que lia todos os dias, mas que por qqer razão era-me complicado comentar...

11/28/2005 1:39 da tarde  
Blogger suggar said...

Complicar pode não ser vocação mas sim o que nos distingue uns dos outros...
Para mim seria um tédio se fosse tudo simples, o maior prazer advém com grandes conquistas e elas por sua vez dificeis de concretizar... mas amadas para sempre...

:) bj complicado

11/29/2005 1:11 da manhã  
Blogger Carlos said...

Manefta
Concordo contigo, mas fica-me uma dúvida:as leis e as regras não são um mero conjunto de práticas de bom senso e de respeito pelos direitos dos outros?Então não devereiam todos cumprir isso sem necessidade de ameaças do tipo se fazes isto eu ponho pimenta na língua?Não será tudo uma questão de educação (ou de falta dela) e caso se investisse aqui seriam todos mais livres poruqe não haveriam regras sem sentido ou constrangedoras da liberdade de cada um?
São coisas que me ocorrem, não ligues.
Um Beijo muito grande.

Sutra
Claro que estamos de acordo.Claro que é o que dizes.Claro que o que disse na resposta onde concordo com a Manefta.Claro que sim.Pois
Beijo tão doce qt o que me deixaste.

Anani
Lá estamos nós de acordo mais uma vez.Que canseira....lol.
Bitaites teus são música mt agradável para os meus ouvidos.
Beijos

Miss Lust
Essa do mau feitio é coisa sobre a qual vou escrever em breve.Ainda bem que falaste nisso.
Quanto ao resto, pois, estamos de acordo.
Beijos

Espírito Liberto
Acho sim.Acho que o disseste de uma forma muito bonita.Olha, acho mesmo que o que dizes tem vida.
Beso (que em matéria de beijos não me atrapalha a língua, poliglota que sou....lol).

BReal
Fico contente por teres gostado do texto e,reforçando o que dizes, vou revelar-te um segredo que vai ficar só para os dois.Tenho cá para mim que os comentários são sempre melhores que os textos.Quando estiveres sem tempo vem ler os últimos só.
Beijo

Mr. Teaser
Antes de mais fico contente por seres meu leitor assíduo.Depois, contente fico por finalmente teres comentado.Quanto ao complicado, complicador e complicómetro não poderia estar mais de acordo contigo.
Já agora e para começarmos a descomplicar alguma coisa, por mais pequena que seja, passa sempre por aqui e ajuda-me a explicar-me...comentando.A sério que te agradeço.
Um grande abraço para ti e um beijo à Miss Perfect

Suggar
Há tantas formas de matar o tédio sem complicar....se soubesses quantas me ocorrem neste preciso momento....mas concordo contigo pq há vezes que complicando antes se tem mais prazer depois.
Um Beijo

11/29/2005 10:25 da tarde  
Blogger Badboy said...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

12/10/2005 9:23 da manhã  
Blogger Badboy said...

Mas companheiro, se podemos complicar, porquê simplificar?

Abraço, badboy

12/10/2005 9:27 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home